skip to Main Content

A pandemia de coronavírus afeta o consumo de hortaliças e frutas ?

Como será o comportamento do consumidor do varejo neste período ?

O setor de HF (hortifruti) hoje no Brasil se sente um pouco apreensivo por não ter a certeza como será o comportamento do consumo de hortifruti durante o período de proliferação do coronavírus, segundo o Ministério da Saúde pode ser algo entre 60 e 90 dias conforme divulgado hoje em coletiva de imprensa pelo Ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta.

Conforme relata o presidente da APAS (Associação Paulista de Supermercados), toda a cadeia do abastecimento está preparada para que não haja falta de produtos nas gôndolas das lojas. Segundo o presidente da Associação Gaúcha de Supermercados (Agas) os supermercados do RS recebem diariamente cerca de quatro milhões de consumidores em suas lojas em todo o Estado.

Como as recomendações são de se evitar aglomerações e locais públicos que reúnem muitas pessoas, tudo isso ficou com cara e nome de quarentena o que criou, em primeiro momento uma sensação de urgência no consumidor, que fez o estoque de macarrão de 30 dias fosse consumido em apenas 4 dias em uma rede de supermercado paulista.

E o setor de hortifruti, fica com dúvidas de como será o comportamento do consumidor em relação aos seus produtos que são mais perecíveis e que acabam saindo do foco do consumidor nesse período.

Da minha parte como Engenheiro Agrônomo e fundador do projeto Caminho do Produtor, posso dizer que é hora de calma e de realizar um trabalho de conscientizar o consumidor de que uma alimentação saudável é uma importante aliada no combate ao coronavírus e é impossível uma alimentação saudável sem pensar no consumo de hortaliças, frutas e verduras.

Em artigo publicado na revista HFBrasil, alguns alimentos que podem colaborar com a defesa do sistema imunológico são o inhame, que auxilia na limpeza do sangue e fortalece os gânglios linfáticos, vegetais de cor verde escura (como brócolis e couve), fontes de ácido fólico, alimentos amarelos e laranjas (ameixa, laranja, cenoura e mamão), ricos em vitamina C, betacaroteno e luteína, e alho, que protege o coração e auxilia em funções pró e anti-inflamatórias do corpo.

Felipe Rodrigues da Silva

Engenheiro Agrônomo, especialista em gestão em processos e rastreabilidade vegetal. Com experiência no desenvolvimento de software e aplicativos para internet. O resultado da união destas duas áreas de conhecimento é o aplicativo Caminho do Produtor. (51) 99521-1446

Back To Top